Home » Dropshipping » Mercado livre

Como Fazer Dropshipping no Mercado Livre

Será que é preciso ter um site com loja instalada online para poder lucrar com as vendas no ambiente virtual? Com certeza não!

A possibilidade de vender absolutamente qualquer item pelo Mercado Livre atrai muitas pessoas querendo viver daquilo ou arranjar uma renda extra. Mas ficar guardando produtos em casa e enviando via correio é chato. Felizmente, isso pode acabar.

Mais e mais pessoas aprenderam como vender no mercado livre sem estoque, o que é chamado de Dropshipping. Elas vendem produtos de outros fornecedores e só colocam o pedido quando alguém compra delas.

Isto não só é possível, como centenas de vendedores já o fazem. Mas será que é fácil ou sequer permitido? Vamos descobrir!

Como fazer Dropshipping no Mercado Livre

Sem enrolações, explicaremos como você consegue vender produtos que não são seus e não estão em estoque. Claro, isto com a margem de lucro que você calcular possível e garantidora da sua tranquilidade.

Antes de abordar o site em si, vamos entender melhor como funciona a prática no geral. Assim, você entenderá os fundamentos e poderá decidir se deseja continuar com o plano.

Entendendo como vender sem estoque

Isso vai contra o que muita gente entende de comércio, mas não é preciso ter um produto sequer guardado para venda. É como o modelo eficiente de Just in Time, em que produtos são encomendados e então fabricados para envio.
Neste caso, no entanto, estamos falando de Dropshipping. O produto está sim estocado, mas em algum outro local sobre o qual você não tem controle, ou qualquer responsabilidade. Está com o fornecedor ou fabricante, até que seja realizada a venda.

Ainda não ficou totalmente claro? Você pode ler nosso guia completo para fazer Dropshipping no Brasil aqui.

Como Vender Dropshipping no Mercado Livre

Agora que você sabe do que estamos falando, como aplicar isso ao ML?

A venda sem estoque é realizada manualmente. Os produtos que estão disponíveis em outros sites são colocados em seus anúncios como se fossem seus. Então, assim que alguém compra, você faz o pedido para o endereço daquela pessoa.

Assim, o produto nem passa perto de suas mãos. Além de não haver estoque, a questão de logística e transporte é de total responsabilidade de quem realmente vende.

O preço cobrado pelo produto deverá ser o seu custo com ele – o quanto será pago de frete deverá ser adicionado no ML – e você coloca a sua margem de lucro. Definindo um percentual, você garante que parte do valor da venda secundária fique com você.

Parece bem simples, talvez mais trabalhoso do que se fosse um serviço automatizado, mas será que é só isso? Precisamos ver as desvantagens, não só o benefício do lucro.

As desvantagens de vender sem estoque no ML

O estoque pode gerar custos, ocupar espaços e causar transtornos para ser enviado na maioria dos casos. Porém, significa também segurança, pois o item a ser enviado está sob sua posse.

A partir do momento em que você não possui qualquer controle sobre o produto, alguns cuidados devem ser tomados. Problemas que não ocorreriam para a existência de um estoque fazem com que não seja uma prática livre de riscos.

Vamos enumerar as desvantagens, para que você entenda melhor:

  1. Ausência de estoque. Você pensava que um determinado produto estava disponível, e talvez até mesmo apareça assim no fornecedor. Porém, não existem unidades suficientes para a venda já feita. Um problema grave e comum.
  2. Lentidão no processo. Sem o produto, você não pode controlar quando o mesmo será preparado e enviado. Se o processo levar horas ou dias a mais do que o esperado, o cliente poderá reclamar.
  3. Entrega demorada. Especialmente para produtos importados de fornecedores estrangeiros. Este pode ser um dos piores problemas enfrentados no caso do ML, e logo mais explicaremos o porquê.

Estes três problemas são os mais comuns e ninguém está livre deles quando opta por este método de vendas. Mesmo assim, a possibilidade de lucro com maior facilidade atrai diversos empreendedores todos os dias.

A seguir, explicaremos se há alguma implicação em fazer isto no Mercado Livre, e entraremos em mais detalhes dos problemas específicos da prática.

É permitido fazer Dropshipping no Mercado Livre?

Por que seria um problema aplicar esta técnica de lucro em um site de livre comércio como o ML?

Acredite ou não, existem sim problemas. O site pode até não se posicionar inteiramente contra a prática, mas contas de Dropshipping costumam ser bloqueadas e há alguns motivos para tanto.

Tem a ver com as normas padronizadas do site, que demandam respeito a tempos de entrega para o consumidor. É permitido que o comprador peça o reembolso caso não receba o produto em até 14 dias, e é aí que mora o problema.

É mais fácil lucrar com produtos importados, especialmente aqueles que vêm da China. Os custos são muito mais baixos, o que permite venda a preços menores aqui, que mesmo assim geram bons retornos para os vendedores.

A parte negativa dessas compras é que elas podem demorar um ou vários meses para chegarem. E, por mais que o vendedor especifique isto no anúncio, o fato nada muda o direito que o consumidor possui de pedir reembolso. Neste caso, o prejuízo é certo.

Outro problema grave que ocorre é quando há necessidade de troca. Por mais que um fornecedor seja bem escolhido, podem ocorrer defeitos ou o cliente não ficar satisfeito, o que lhe garante o direito a trocar o item.

Neste caso, seria basicamente triplicar o tempo de espera, com o retorno do produto e espera de envio de outro. Naturalmente, seria uma prática inviável.
Fica claro, então, que para o Mercado Livre Dropshipping não é uma prática ideal. Mesmo assim, são diversos os vendedores que se aventuram com a prática e continuam a lucrar com boa reputação no site.

Há outra forma de vender sem estoque?

Claro que sim!

A prática ensinada aqui – melhor descrita no link fornecido acima – não é exclusiva do ML ou de qualquer outro site.

É possível fazer vendas sem ter quaisquer produtos estocados com absolutamente qualquer fornecedor, em qualquer plataforma onde se possa vender. Pode ser o ML, a OLX ou uma loja própria e online.

A última opção é, com certeza, a mais comum e preferida dos vendedores. Com um site só seu, você define os termos de entrega, pagamento e reclamações. Assim, evitará problemas que acarretarão um prejuízo considerável.

Porém, a prática exige um pouco mais de trabalho e investimento. Mesmo assim, há diversas opções gratuitas na internet que hoje facilitam a sua vida. Existem ferramentas especialmente desenvolvidas para automatizar todo o processo e evitar que você tenha trabalho.

Você pode, por exemplo, ler mais sobre e testar gratuitamente o Shopify neste link aqui. Trata-se de uma plataforma de e-commerce que lhe permite criar uma loja, adicionar produtos de outros lugares e vender sem estocar ou ter que enviar nada.

Se mesmo assim você ainda quiser utilizar o ML, há uma prática difundida para evitar ter a conta eliminada pela equipe como precaução. É basicamente a não utilização textos específicos do Dropshipping, limitando o anúncio a imagens explicativas.

Assim, o robô que poderia identificar a sua conta como indesejável teria problemas para entender o propósito do anúncio.

Ecommerce na prática: vale a pena?

É impossível garantir sucesso em qualquer área, seja em relação a um empreendimento, um trabalho ou um emprego. Pode-se, porém, falar de chances e oportunidades, como a que está em voga atualmente para o comércio virtual.
Não é mais preciso ter diversos produtos em casa ou no depósito para realizar vendas, e isto por si só é uma incrível vantagem. Apesar de não possuir somente lados bons, é atualmente possível lucrar com a prática do Dropship sem muito esforço.

Para quem quer realmente viver deste método, é necessário colocar um esforço extra em publicidade e marketing. Afinal, é com vários clientes assíduos que se lucra, seja qual for a categoria de produtos que o site venda.

Se você sente aptidão para este tipo de trabalho, então sim, ainda vale a pena iniciar sua loja montar uma conta no ML ou realizar os dois ao mesmo tempo. Mãos à obra!

Conclusão: A venda de produtos de terceiros no ML

Descobrimos juntos como funciona a prática de vender itens sem ter nada no estoque e sem ter que estocar qualquer produto após uma venda. Entendemos tanto os seus benefícios quanto as desvantagens envolvidas.

Não só isso, aprendemos como isso pode ser feito sem uma loja virtual, utilizando o Mercado Livre. Mais além, entendemos que é possível ter os dois ao mesmo tempo e maximizar tanto uma marca quanto os lucros.

Por fim, trata-se mesmo de um método bastante explorado, mas ainda com muito espaço no mercado. É possível sim se dar bem nesta área, mas não é livre de esforços e riscos como muitos podem pensar.

Cabe a você decidir!